NOTÍCIAS
Assovmg-Mercado-de-Seminovos
out 6

Economia vence o luxo : disparada de combustíveis ajuda a impulsionar mercado de seminovos

Com o preço dos combustíveis cada vez mais altos, o mercado de carros seminovos – em especial os de menor consumo – segue em ritmo de crescimento em Minas e no país, praticamente na mesma proporção. Duas pesquisas divulgadas nessa segunda-feira (9), uma com preços nos postos, feita pelo site Mercado Mineiro, e a outra sre o mercado de revenda de automóveis, produzidas pela Associação de Revendedores de Veículos do Estado de Minas Gerais (Assovemg), mostram a proximidade de percentuais.

No caso dos combustíveis, em BH, a gasolina subiu cerca de 27% e o etanol, de 36%, desde janeiro. Já o volume de seminovos vendidos, em todo o Estado, teve um acréscimo de pouco menos de 40% no período. Especialistas apontam que a maior procura pelos automóveis de segunda ou mais mãos se explica por um tripé: a diminuição da produção de carros novos, causada pela escassez de insumos, a maior necessidade das pessoas em ter transporte próprio, por causa da pandemia, e a necessidade por veículos mais econômicos e com custo de manutenção mais baixo.

Acumulado

Desde o início do ano, a venda de veículos seminovos em Minas acumulou elevação de 38,2% em relação a 2020, segundo a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). Somente em julho, a alta foi de 8,4% sobre junho. Em relação a julho de 2020, o pulo foi de 5,7%.

Para Glenio Júnior, presidente da Assovemg, a tendência é de que as vendas de seminovos sigam em alta até o fim do 2º semestre. “A indústria ainda vai ter dificuldades para resolver os problemas de falta de componentes eletrônicos, o que tem deixado muitos compradores na fila por até quatro meses. Por ouro lado, com a retomada econômica, as pessoas terão mais necessidades de locomoção e a busca por veículos seminovos e mais econômicos deve crescer”, explica Glenio.

Nas revendas, a luta é para conseguir suprir a demanda. Dona de uma loja de seminovos no Dona Clara, região da Pampulha, Rosamary Moura passou a investir mais em carros populares (de R$ 30 a 45 mil). “A procura por esses veículos aumentou de maneira absurda e quando temos, eles nem esquentam no pátio. Desde o início do ano, alguns modelos estão até 30% mais caros, principalmente pela maior procura”, garante a empresária.

Fonte: http://c.ideiafixa.com.br/assovemg/site/ideia/noticia.asp?cd_noticia=100126477