NOTÍCIAS
set 14

Troca de carro 1.8 por 1.0 poderia gerar economia anual de quase R$ 900 no posto

Os modelos seminovos mais vendidos em Minas Gerais continuam sendo os populares, como os Fiat Pálio e Uno e o Volkswagem Gol. A escolha por tais veículos é justificada pela economia. Um carro com motor 1.0 faz, em média, na cidade, 14 quilômetros com um litro de gasolina. Já um com motor 1.8 e câmbio automático, por exemplo, faz 10 km/l.

Se os donos percorrem 100 quilômetros por semana, isso significa que o do carro mais beberrão irá ter de comprar 10 litros do combustível por semana – ou 40 litros por mês. O do veículo econômico usará 7 litros por semana – ou 28 litros/mês. Na ponta do lápis, com a gasolina na faixa de R$ 6 o litro, o gasto do dono do 1.8 seria de R$ 240 ao mês e o do econômico, de R$ 168. Em um ano, caso o preço da gasolina fosse congelado, o primeiro gastaria R$ 2.880 e o segundo, R$ 2.016: R$ 884 a menos para o motorista do segundo automóvel.

Mirando nesta economia, o aposentado Juliano Alvim, de 67 anos, resolveu trocar um Citröen C3 2019 1.6 automático por um Gol 1.0 do mesmo ano. Na troca, perdeu em conforto, mas garante ter favorecido o bolso. “Tenho carro apenas para ir a um supermercado, igreja e visitar as filhas. Troquei pelo mais econômico, que me faz gastar metade em combustível, e ainda peguei quase R$ 10 mil na troca. Além disso, o custo de manutenção e de IPVA também ficou menor”, garante o aposentado.

E são essas contas que são levadas em consideração pelos consumidores na escolha de seminovos mais populares. Para o economista Feliciano Abreu, do MM, os compradores estão pesando mais na balança o quanto vão gastar para usar o carro do que desempenho e conforto. “Em momento de crise, de preços dos combustíveis subindo, a economia é fundamental para a tomada da decisão”, afirma o economista.